não sei que título dar a isto (maio, junho)

5 maio, eurovillage, terreiro do paço
moullinex

está bem que não era moullinex, era o lisbon open house, e os convidados eram variados e parecia tudo muito bem mas estarem intercalados entre o set habitual do hypersex tornou a experiência muito estranha. acabámos por abalar até sintra para apanhar ainda um bocadinho do regresso dos groove 4tet, no clube da praia.

6 maio, eurovillage, terreiro do paço
paião, mais doce

Processed with VSCO with c1 preset

tudo bem com o tributo ao paião mas ao mesmo tempo parece que falta qualquer coisa? o jorge benvinda salva aquilo, tho. as mais doce? lindas, maravilhosas. o look, as coreografias e a banda maravilha lá atrás. e eu que nem tinha noção que conhecia tanta canção das doce. bem que podiam continuar com o projecto.

7 maio, eurovillage, terreiro do paço
banda do mar

Processed with VSCO with c1 preset

nunca pensei que alguma vez iria berrar e saltar a ana júlia num terreiro do paço cheio de povo. que bela prenda do querido marcelo. banda do mar é amor e mais amor e tudo o que posso dizer é que foi uma noite muito, muito bonita.

11 maio, eurovillage, terreiro do paço
orelha negra, capicua

Processed with VSCO with c1 preset

com orelha negra já não há como não correr bem. com capicua idem, mas se ela traz a guerrilha cor-de-rosa a arrasar com tudo e todos, ui, tenham cuidado. já anseio por coisas novas, se bem que a quem escreveu a alfazema nunca poderei exigir mais nada.

12 maio, coliseu
niall horan

Processed with VSCO with c1 preset

sim, é o moço dos one direction. acontece que tem um disco bem decente e que deu um belo de um concerto. gostei especialmente de quando pediu à mocidade toda que deixasse o telemóvel no bolso só por um momentinho que fosse. ficou-lhe bem.
-> Este pop idol cresceu. E bem – Niall Horan no Coliseu <-

30 maio, ea live, coliseu
allen halloween, luís severo, you can’t win, charlie brown, samuel úria, linda martini, mão morta, the legendary tigerman

Processed with VSCO with c1 preset

melhor noite. a fofura que é o severo ao piano, a maravilha que são sempre os charlie brown, o melhor gingar de anca do país aka samuel úria, a brutalidade dos mão morta e o rock and roll afiado do tigerman. tendo em conta o cardápio e a companhia, até que fizemos um mini bons sons ali no coliseu, há lá melhor.
-> A casta da música portuguesa provou merecer um Coliseu só para si – EA Live no Coliseu <-

7, 8 e 9 junho, parque da cidade
nos primavera sound

Processed with VSCO with c1 preset

primeira visita ao parque da cidade e fiquei logo apaixonada. sei que cheguei tarde ao comboio do primavera (lel desculpem se sou pobre) e sei que ele tem tido a tendencia de ficar menos agradável de ano para ano, mas gostei muito. vá, da chuva não gostei assim tanto. quem ganhou foi o nick cave, claro. mas ver a lorde ao vivo para mim foi qualquer coisa de muito especial, outros mui aguardados highlights foram umo, ibeyi, public service broadcasting (!!), grizzly bear, kelela, tyler, the creator, war on drugs e mogwai. revelações bonita também as houve, em superorganism, yellow days e idles. e uma palavrinha para os shows bonitos de luís severo e moullinex, que a merecem.
-> A espera valeu a pena – aí está mais um NOS Primavera Sound <-
-> Neste parque há espaço para tudo – o (soalheiro!) segundo dia de NOS Primavera Sound <-
-> Não há chuva que lave as lágrimas que Nick Cave provoca – o derradeiro dia de NOS Primavera Sound <-

21 junho, coliseu
lcd soundsystem

Processed with VSCO with p5 preset

ou
o dia em que o james murphy me deu um abraço. quase três horas de concerto, a setlist perfeita, um calor imenso no coliseu que virou pista de dança e a melhor companhia. se nunca esperei poder ver lcd ao vivo então nunca sequer imaginei que pudesse vir a ser assim tão especial. ainda há noites assim.
-> O sonho americano acabou – felizmente, os LCD Soundsystem ainda não <-

Advertisements

não sei que título dar a isto (março, abril)

2 mar, coliseu
red bull music culture clash

IMG_20180302_212910.jpg

eventful. fui por claque à capicua e à sua guerrilha cor-de-rosa mas sou das que acha que a crew do richie deu mais festa. no fim ganharam os paus e pedras, que deram as melhores dicas à crew falhada do rui pregal da cunha, que no fundo era o mais importante da noite.

3 mar, musicbox
oioaiIMG_20180303_225121

tantos feels. a minha banda favorita do verão de 2007 voltou aos discos. eu já tinha falado deles por aqui, quando regressaram aos concertos, no mêda+ de 2016, mas desta vez foi ainda mais especial! musicbox cheio, malta a cantar as novas e muitos sorrisos no palco. fui em serviço e o report está aqui.

14 mar, coliseu
as canções de leonard cohenIMG_20180314_235745.jpg

mais uma voltinha, que isto de ver o sami a dançar a lover lover lover não é oportunidade que se deixe passar. estou a brincar, também vale a pena a avalanche do mazgani, a partizan da márcia, a chelsea hotel do david fonseca, enfim, vocês percebem. foi projecto bem feito e, volto a dizê-lo, a banda de apoio steals the show.

16 mar, zdb
tipo

received_10215106170758597
storytime! o meu telemóvel caiu retrete abaixo (podem rir) por isso andei com um de improviso que ligava a lanterna sempre que eu abria a camera mas só me apercebi disso a meio deste concerto… a raquel ao ver a minha figura decidiu tirar esta fotografia com o seu telemóvel funcional e enviar-ma. por isso aqui está. obrigada, raquel.

o moço dos charlie brown lançou um disco a solo bem giro e foi apresentã-lo à zdb rodeado de família e amigos. valeu a pena pelas canções e pela banda que o acompanha (surpresa, surpresa: são os charlie brown!).

22 mar, altice arena
bob dylan

a minha mãe passou o pré-natal a chatear-me para lhe dizer o que queria receber. eu dizia sempre um bilhete para o dylan. ela recusou sempre. na véspera do concerto, quando soube que ia, liguei-lhe e ficou assim meio indignada. como quem diz, então mas eu passo a juventude a venerar o rapaz e agora vai a minha filha ver o concerto? ya mãe, mas deixa, este dylan já não é o teu dylan. não deixa de dar um concertaço e de ter canções maravilhosas, tho. tendo em conta que houve to make you feel my love e don’t think twice it’s alright, nunca me irei queixar. fui a fingir que sou pro, por isso a tentativa de o ser está aqui.

29 mar, campo pequeno
benjamin clementine

vi o primeiro concerto dele na tuga, em 2015, no sbsr. entretanto já cá veio tocar uma dúzia de vezes, e eu só o revi agora. mas fez-me bem a pausa, porque toda a teatralidade aumentada deste menino está maravilhosa, e o amor que o público de cá lhe tem transborda tanto que é impossível ficar indiferente. noite das bonitas, report habitual aqui.

4, 5,6 abr
MIL

mais um ano, mais umas voltinhas no cais do sodré a pensar e ouvir nova música. a conversa sobre jornalismo foi inútil, porque foi centrada na ideia de que os millenials não gostam de ler e coitadinhos dos jornaleiros que já não servem para descobrir música e estão a navegar na maionese. pena basicamente só se ter falado sobre coisas impressas porque o exemplo da antena 3 estava bem representado no painel e não teve muito espaço para opinar. a conversa sobre salas de concertos já foi muito mais interessante e levantou questões bem relevantes. de resto, dos concertos, alek rein maravilha, júlio resende idem, moullinex festança da boa, best youth muito fofos e boogarins excelentes. é o que me lembro.

10, 11 abr, tivoli
desconcerto

fui com zero expectativas, saí de cada uma das noites com dores na cara de tanto rir. especialmente da primeira, que na segunda o factor surpresa de alguns dos momentos já não teve aquele impacto, mas gostei muito do conceito. a melhor parte é ver-se a luísa sobral e o miguel araújo a desenrascar letras em real time, ou juntos ou “um contra o outro”, tendo a mesma informação que nós, e ver como a interpretam de formas diferentes. foi show.

12 abr, tivoli
joão só + joana almeirante, miguel araújo, benjamim, rui veloso, lucia moniz, andré sardet, nuno rafael

outro show. só a lista de convidados já fazia esperar festão, e está bem que foi longo e está bem que não sou a maior fã do baladeirismo lamechas do moço maaaas, gostei do concerto. especialmente do momento mendes e joão só, claro.

13 abr, capitólio
paus

o som do capitólio é uma maravilha, mesmo com a sala meio cheia. os paus são um tesourinho e este madeira é um disco que merece todo o amor. naquela noite houve muito, do palco para o público e vice versa, e foi tudo muito bonito. a apreciação menos sentimental está aqui.

22 abr, capitólio
miguel araújo

visão fest ou o que é. foi bom, porque foi miguel jorge voz e guitarra e porque teve ventura e lurdes e sangemil e romaria e josé. foi também da maneira que soube que a dona laura do dia de folga é a mesma dona laura do crónicas e fiquei de coração cheio.

23 abr, campo pequeno
arcade fire2018-04-24 01.00.09 1.jpg

nunca os tinha visto. adorei. preciso de dizer mais? tomem lá o texto seriozinho, então: está aqui.

25 abr, tivoli
via, quatro e meia + joão só + antónio zambujo

a banda mais lamechas de portugal inteiro foi tocar ao tivoli e eu continuo a achar piada à música mas a achar as letras muito fraquinhas (hint têm uma canção que se chama ‘minha mãe está sempre certa’ e outra que é ‘meu amigo que saudades de te ver’ dá para entender). mas contudo no entanto porém: fiquei com a pontos nos is em loop na minha cabeça até hoje.

não sei que título dar a isto (fevereiro)

2 fev, altice arena
richie campbell

chamada de última hora para ir ver o migo que não paga finos ao pa. som da treta como de costume mas um belo de um show de um tipo que foi ganhando o meu respeito e honestamente agora até estou para ver o que vai fazer a seguir. o texto está aqui.

9 fev, olga cadaval
samuel úria + tiago bettencourt, camané

2018-03-26 04.44.28 1.jpg

quase morri mas a teresi salvou-me com uma boleia maravilha. sami vale sempre a pena, com camané então nem se pergunta. uma adeus que me vou embora para terminar em beleza. teve império, teve espalha brasas, teve concerto bonito, pois está claro. e sim, há texto, está aqui.

14 fev, musicbox
luís severo + cristina branco, vaiapraia, júlia reis

2018-03-26 04.44.27 2.jpg

que noite bonita. as canções despidas, os convidados maravilha, o povo a cantar tudo. assim vale a pena ir a concertos de dia dos namorados. também há texto, aqui.

15 fev, lux
linda martini

a 14 de fevereiro de 2014, 7 dias depois de ter voltado de 6 meses em itália sem um único concerto, fui ao lux ver os linda martini, pela primeira vez. foi um bom throwback. na altura o disco era o turbo lento, desta vez foi o homónimo, que, convenhamos, está uns bons furinhos acima. noite suadinha, se bem que eu só vi o tecto porque enfim, lux. o texto da praxe está aqui.

16 fev, teatro trindade
sopa de pedra

2018-03-26 04.44.27 1.jpg

super última da hora mas lá fui ouvir as vozes mais bonitas. não me canso nem nunca cansarei destas revisitações ao cancioneiro. se não conhecem, tirem uns minutos do vosso dia, juro que ele vai melhorar logo. e o raio o teatro da trindade que é tão bonito e eu que lá ponho tão pouco os pés.

22 fev, lux
sean riley, the legendary tigerman

2018-03-26 04.44.26 1.jpg

consegui não ver só o teto, o que é notável. as canções novas do sean riley sem slowriders prometem disco dos muito bonitos. as canções novas do homem tigre já sabíamos que são incríveis e só têm a ganhar com o palco. podia ter sido mais uma noite suadinha mas achei o público muito meloso, ou então estava só rodeada de homens de meia idade com os copos. e há texto, pois claro, está aqui.

28 fev, b.leza
tatanka

2018-03-26 04.44.25 1.jpg

b.leza com cadeira e mesinha numa noite em que o tejo quase entrava pela janela, foi fofo. o tatanka a solo tem aquele vozeirão do costume e aquelas guitar skills marotas mas também umas histórias bem engraçadas.

 

de resto, vale a pena vir aqui dizer que o três cartazes está incrível mas o black panther senhores!!!! e finalmente tratei do livro da kim gordon e gostei mas não adorei, há ali um distanciamento meio estranho e depois tudo aquilo com o thurston ainda muito a quente. still, é uma referência e achei algo assustador os relatos da infância com o irmão e a sua relação com a sua feminidade ou lá como lhe queiram chamar, porque identifiquei-me muito muitas vezes.

ah, e parabéns à isaura e à cláudia pascoal! mais uma vez o festival da canção trouxe-nos umas quantas belas canções e foi bonito ver tantas delas chegar à final. para mim as melhores foram a anda estragar-me os planos, a sem título e a zero a zero, mas gostei muito d’o jardim e especialmente da sua história :’) fiz para o shifter uma listinha das sete que mais me marcaram, que está aqui.

não sei que título dar a isto (janeiro)

it’s baaaaaack!

18 jan, musicbox
filipe sambado & os acompanhantes de luxo (+ luís severo + calcutá)

Processed with VSCO with c1 preset

nunca tinha ido a uma festa de despedida de um disco. adoro o vida salgada, o sambado e seu batom, glitter e colar de pérolas e começar o ano a berrar refrães no musicbox. tudo certo, portanto. vou fingir que sou uma pessoa paciente e dizer que aguardo calmamente o próximo disco.

21 jan, monforte da beira
piquenique mpagdp

2018-02-13 04.16.42 1.jpg

então trabalhei na véspera até às 2h cheguei a casa às 3h e só dormi às 4h30 para me atrasar e pagar um uber para às 8h15 conseguir estar dentro de um comboio em direcção a castelo branco para depois lá apanhar um transfer até monforte da beira. isto tudo por um piquenique, sim. o que é que eu levei para o piquenique? dois pães com marmelada, duas bolachas, uma clementina e uma garrafa de água. também levei uma camisola de lã a achar que ia estar um frio danado. resultado? dei por mim a morrer de calor e de fome, ao mesmo tempo. a fome tratou-se bem (havia queijo e pão à venda e o fino era 0,60€ – nem precisava de mais nada), o calor nem por isso. pelo meio ouvimos adufes, cordofones, gaitas, bombos (muitos bombos), a celina da piedade, o pedro mestre, o éme… pelo meio cantámos todos tanta coisa e ouvimos tanta coisa que não conhecíamos e olhem, nem sei… fui sem saber ao que ia a voltei a pensar que fazia isto todos os domingos, fácil. isto foi a celebração dos 7 anos d’a música portuguesa a gostar dela própria, btw. o bolo estava bom, mas eu gostei foi de conhecer o burro da aldeia.
um obrigada à filipa e à ju por terem embarcado na mini loucura comigo.

24 jan, casa independente
they’re heading west + rita redshoes

Processed with VSCO with c1 preset

não me deixem voltar a esquecer do quanto gosto da voz da rita, por favor. não me deixem voltar a passar tantos meses sem ir ver thw à casa independente, por favor. não houve large amounts (presumo que para me obrigar a voltar asap), mas houve i can’t handle the summer, não me queixo ❤
(em fevereiro o convidado é o luís martins, dos deolinda – façam favor, são fins de tarde tão bonitos)

26 jan, tivoli
ana bacalhau (& os pataniscas)

o disquinho está giro, tem duas maravilhas (a da minta e a da márcia), umas quantas boas para bater o pé (a do nuno prata, aquela do moço dos diabo na cruz, a do sami, a da capi, a do miguel jorge e a que é total e completamente da própria da bacalhau), mas no concerto quem ganhou foi o luís peixoto e a versões bonitas da estrela da tarde e da de volta para o meu aconchego. escrevi mais bem melhor sobre o certame para outrém, se quiserem muito está aqui.

entretanto fui ver a actores ao são luiz e saí muito embasbacada a dizer que tenho de ir ao teatro mais vezes, que é o que acontece sempre que vou ao teatro. e o call me by your name? nem quero ver mais nomeado nenhum, mais bonito que aquilo é impossível. later!

¯\_(ツ)_/¯

aquele post de regresso que lamenta imenso o tempo de inactividade e etc etc vamos saltar essa parte. o que aconteceu entretanto? vamos lá ver:

• o livro do johnny marr está belíssimo e se gostam de smiths invistam nele e caguem nesse biopic do morrissey.

• o novo disco do miguel araújo só não é um disco perfeito porque eu não consigo aturar uma das canções. para compensar, uma delas, a sangemil, é a mais bela canção alguma vez feita sobre canções.

• os cassete pirata são muito bons e têm um ep maravilha

• por que é que o mundo ainda não se rendeu aos pés de
a) cave story
b) alek rein
c) sunflowers
d) surma

• num dia em abril subimos ao salão da voz do operário, enchemos as bancadas e a plateia e vimos, ouvimos e cantámos zeca. uma maioria de malta jovem, no público e no palco, versões surpreendentes e um fachada sublime. das noites especiais.

• os salto são lindos e não entendo porque tocam tão pouco em lisboa

• cinco bacanos de leeds a papar queimas e eu a ir atrás. dois concertos bem fixes, uma pandeireta, uma noite ao relento na bonita coimbra, uma tarde de amigos na invicta. no meio do papa, do salvador e do benfica, eu fiquei bem com os migz kaiser.

• e o disco do éme? ah pois. não ouçam, não.

• e quando o manel cruz começou a capitão romance? melhor parte do gig do úria. é uma coisa chata de se dizer, porque o raio do tondelense foi magnífico, mas esta miúda nunca tinha ouvido ornatos ao vivo, terão de me desculpar. e não via sami há muito tempo, finalmente as novas, com a rainha que é a manuela azevedo, e a império que dá sempre sempre cabo de mim. noite bonitinha no tivoli.

• o reeperbahn no cais do sodré! conferências à tarde, cerveja cara, bué gigs à noite todos ao mesmo tempo e em salas pequenas, é tal e qual. mas sim, a alegria que foi o tio b, ouvir malhas do 1986 no b.leza, charlie brown lindinhos, duquesa na rua porque já não cabia ninguém no lounge, as pazes com os capitão fausto, as sdds de linda martini. as conversas da tarde dão pano para mangas mas isso fica para outro dia.

• turbo baile no santo antónio. tochapesta nas sardinhas achadas na noite mais bonita de lisboa, no titanic dias depois. sempre incríveis.

• num dia (complicado, por sinal) vi a capicua que como sempre faz aquela homenagem ao sérgio godinho, no outro o próprio senhor veio tocar ao arraial do bairro, e foi tão, tão bom.

• três dias de alive em modo jornaleira. foi fixe, munto cansativo, mas fixe. o melhor foi claro berrar foo fighters no meio de milhares de almas e não a sós no quarto das caldas, como quando era piquena. xx foi o amor, quando for grande quero ser como a alison mosshart, fingi ser mancunian na not nineteen forever, dos pequenos, o ryan adams é o maior, cage the elephant djimais, glass animals incríbeis, savages lindas maravilhosas, warpaint também mas não tanto, fleet foxes assombrosos, avalanches muito party fiesta da boa, mas spoon? ganhou. (e sim muitos tugas a dar tudo tipo ycwcb, golden slumbers, cave story, pista, benjamim, duquesa, discotexas e que mais)

• perdi a minha avó. passei noites deitada no terraço de ferreira do alentejo a ouvir a inside out dos spoon em loop. não sei lidar mas hei-de aprender. hoje sonhei que voltava a ferreira e ela lá estava. ainda não está tudo bem mas vai ter de ficar.

• se acham que música tradicional portuguesa não é a vossa cena vão ver omiri e calem-se

• no edpcoolcoiso, o jake bugg tocou a simple as this e continua o rebelde-tímido com o melhor sotaque. o palma só precisa de um piano para fazer magia.

• na mêda a hospitalidade continua extremamente bondosa, o ambiente das tardes no parque uma beleza e o cartaz das noites apetitoso. pena o público ter-se perdido algures pelo meio. primeiro dia de leiria (nwfd, fbac) e sensible soccers rendeu bué, a surma é de outro nível, keep razors sharp ganham sempre, we bless this mess a trazer o folk punk à tuga e a tocar against me! – tudo certo, best youth magníficos como sempre.

e cá estamos, na contagem decrescente por cem soldos, a tentar voltar àquela promessa do vir deixar aqui coisas mais vezes. veremos.

aquela rubrica, pois

adufe em lisboa, fnac chiado

i’m a sucker for adufes. só apanhei o final do showcase mas achei muito bonito, as canções e isto de haver grupos de adufes em lisboa.

capitão capitão + chibazqui, sabotage

C6Cc2oyWYAAyl-6

passo mais tempo no sabotage à espera de concertos do que a ver concertos, mas presumo que a culpa seja minha, quem é que chega meia hora depois da hora marcada? é óbvio que ainda vai estar vazio. enfim, o meu amor por chibazqui tudo supera. tinha muitas saudades. capitão capitão teria sido muito bom, se eu gostasse da voz e das letras do moço.

tochapestana, musicbox

IMG_20170305_000710

os tochapestana forneceram o final perfeito no bons sons do ano passado e desde esse momento que ocupam o lugar especial no meu pequenino coração. este novo disco está incrível e o concerto foi uma festa imensa.

baby amor
nada temas
teremos sempre Atenas ❤

festival da canção, coliseu de lisboa

IMG_20170306_004621

e de repente dei por mim na festa de anos da RTP. só fui pela Lena d’Água tbh. foi bonito, ganhou o Salvador e os Sutas foram lindos e os They’re Heading West com o António e o Benjamim idem e a Deolinda foi bué diva e ainda tenho pesadelos com a canção dos Viva La Diva. no final ainda deu para tirar uma selfie com a Leninha! épico.

 

birds are indie, the decadente

IMG_20170309_222332

a banda mais fofa do país. um belo concerto em modo redux, mesmo com os problemas de voz. e tocaram Smiths, porque podem. são maravilhosos :’)

ditch days + maze, musicbox

IMG_20170310_222229

finalmente ditch days, migos!! much excite! gostei muito do disco e adorei o concerto, só foi pena não estar lá muita gente. maze estava a ser muito fixe, mas tive de abandonar. fica o agradecimento ao talkfest por mais uma vez fazer desconto de dia dos namorados (lóle) e permitir que os pobres acedam a qualquer coisinha.

miguel araújo, benedita

Processed with VSCO with c1 preset

tudo pode acontecer na benedita, até um concerto de miguel jorge. quase nos perdemos no caminho e chegámos tarde porque ainda nos faltava jantar. mas as duas últimas da via estavam giras. miguelito em trio pela primeira vez, canções e cenário novo… tudo lindinho. venha de lá esse giesta!

duquesa, musicbox

Processed with VSCO with c1 preset

depois de adorar o ep, venho declarar amor pelo lp. norte litoral está tão bom que me fez ir sozinha ao cais para o ouvir ao vivo. belíssimo concerto e ainda mais belo cover da lust for life no final.

frankie chavez & selma uamusse + beautify junkyards + nice weather for ducks, musicbox

Processed with VSCO with c1 preset

pela erica buettner, uma noite especial. o poder do frankie e a voz da selma, o elevar de espírito dos beautify junkyards e a festança feliz dos nice weather for ducks.  se quiserem saber com podem ajudar, cliquem aqui.

eddie izzard, tivoli

Processed with VSCO with c1 preset

ok ok eu sei que não é música mas!!! ainda nem acredito bem que isto aconteceu. o eddie izzard veio mesmo fazer um espectáculo em portugal, esgotou mesmo, mesmo com maioria tuga, e ele falou mesmo com a malta no final, e foi mesmo um amor. há muitos anos que me apaixonei pelos quiz shows parvos da tv inglesa, e foi assim que fui apresentada a muitos comediantes geniais. nunca cá põem os pés, mas claro que este senhor tinha de fazer uma digressão por 39 países e espectáculos em 4 línguas diferentes. é só o tipo que fez 27 maratonas em 27 dias e angariou milhões para o sport relief no processo. fácil, né?
we can always do more than what we think we can do ❤️

 

aquela rubrica que enfim, coitada, não tem nome

se no último post era o desemprego que dava comigo em maluca agora, adivinhem, é o trabalho que dá comigo em maluca. enfim, peço desculpa pelo atraso, já nem sei o que dizer sobre muita coisa, mas fica o registo e prometo que março virá mais bem tratado.

souq + her name was fire, sabotage

estava há que tempos para ver souq, migos. é bandaço e dá um show tão pesado quanto dançável, ou, como disse a catarina no final “têm um som pesadinho, mas redondinho”. fico à espera de uma nova visita à capital, para um concerto maiorzinho! já her name was fire estavam muito mais à vontade do que no mêda, e estava a ser bem bonito, até termos de ir embora.

fogo fogo, casa independente

IMG_20170219_194110

aquela tarde quentinha ali no intendente.
melhor programa para um domingo à tarde: migas, cachupa, finos e funaná.
e mais não digo, têm mesmo de ir experimentar.

galgo + catapulta + above the tree, céu de vidro

IMG_20170218_234613

quando nunca acontece nada na terrinha mas quando acontece é tudo ao mesmo tempo: filipe sambado e galgo na mesma noite?! a carteira não deixou ir aos dois por isso optei pelos galgo que ainda não tinha tido o prazer de ver ao vivo. foi muito fixe! depois houve uma homenagem ao buckethead e mais qualquer coisa que não recordo porque viémos para a porta conversar. desculpem, nunca estou nas caldas muito tempo, há que pôr a conversa em dia. mas já disse que os cave story são os maiores por fazerem acontecer cenas lá? e já disse que foi surreal estar o sambado a ver galgo… no céu de vidro? é que em lisboa isto é normal mas ali ganha toda uma dimensão. venham mais destes.

they’re heading west + nick nicotine, casa independente

IMG_20170219_192921

as saudades que eu já tinha destes meninos. as do nick a solo, as do nick com eles, as deles, sempre. que final de tarde tão bonito :’)

margarida falcão + catarina falcão, teatro do bairro

IMG_20170224_002047

golden slumbers sem ser golden slumbers. gostei muito das duas manas falcão, mas acho que o projecto da catarina me prendeu mais, tá poderoso e agora fiquei aqui a ansiosa para ouvir mais. não se faz. anyway, a SPA agora faz concertos? tá bem então.

os quatro e meia, olga cadaval

IMG_20170225_215615

fossem todas as tunas dar coisas tão bonitas quanto esta aqui. foram ao porto e esgotaram duas vezes a sala 2 da cdm, foram a coimbra e esgotaram mais umas vezes o teatro, e agora vêm a sintra e esgotaram o pequeno auditório portanto oupa para o principal. são relativamente novos nestas andanças mas têm um à vontade e um sentido de humor surpreendentes. há originais incríveis (oi, baile de são simão), versões notáveis (mulher d’armas, comé) e momentos em que achamos que viemos ver um espéctaculo de stand up. por mim, podem voltar quando quiserem.